REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

A 2ª GUERRA MUNDIAL

A 2ª GUERRA MUNDIAL

OBJECTIVOS PARA O TESTE DOS 9º ANOS -MAIO 2010

1- A crise das democracias: relaciona a crise de 29 e a crise das democracias.(pág 84)
2-Os princípios ideológicos do fascismo: caracterizar de ma forma geral.( pág. 84)
3- O fascismo italiano: refere as causas que levaram à implementação do regime fascista em Itália.(pág.86)
4-Explica como se procedeu a subida ao poder de Benito Mussolini.(pág.86)
5-O nazismo alemão: causas do mesmo.(pág.88)
6-Refere as ideias defendidas pelo nazismo.(pág.90)
7-Portugal e a ditadura salazarista:explica as razões da implementação da ditadura militar em Portugal em 1928.(pág.92)
8-Caracteriza o salazarismo. (Pág.92)
9-Explica o que foi a censura e a policia politica no Estado Novo.(pág.96)
10-A 2ª guerra Mundial: indica as causas que levaram à guerra.(pág.112)
11-O que foi a guerra relâmpago?(pág.114)
12- Qual foi a importância , para a mundialização da guerra, do ataque japonês ao base naval americana de Pearl Harbour?
(pág.114)
13-O que foram os campos de concentração ?Quem eram as pessoas que eram para lá levadas?(pág.116)
14-O fim da guerra: na Europa e no Pacifico-Japão( a bomba atómica).Quais as consequências para o mundo e em particular para a Europa? (págs.118 e 119)
15-A procura de uma paz duradoura: A ONU: quais eram os seus objectivos?(pág120)

A RevoluçãO AgríCola E O Arranque Da RevoluçãO Industrial

O ILUMINISMO EM PORTUGAL E NA EUROPA

div style="width:425px" id="__ss_2540181">Iluminismo
View more presentations from cidalialuis.

O ILUMINISMO NA EUROPA

OBJECTIVOS PARA O TESTE 8º 2 - MAIO 2010

1- A Revolução agrícola em Inglaterra: refere quais as alterações que foram feitas na agricultura inglesa com esta revolução(pág.106)
2- Explica as relações entre esta revolução agrícola e o aumento da população.(pág.108)
3- Que outros factores ajudaram também a aumentar a população ?(pág.108)
4-A Revolução Industrial em Inglaterra: Refere qual a ligação ente a Revolução Agrícola e a Revolução industrial.(pág.108)
5-Que outros factores contribuíram para que a Revolução Industrial tivesse lugar em Inglaterra e não noutro país qualquer.(pág.110)
6- Refere quais foram as duas indústrias de arranque da revolução industrial.(pág.110)
7 Indica algumas inovações técnicas ocorridas na revolução industrial inglesa.(pág.112)
8- Explica as alterações ao regime de produção e trabalho que se deram com a Revolução Industrial
( oficina/fábrica e manufactura /maquinofactura)
(pág.112)
9-A Revolução Americana: Causas dessa revolução.(pág.118)
10- Caracteriza a revolução americana.( deixaram de ter rei e passaram a ter um presidente)(pág.118)
11-A Revolução Francesa.: Causas da revolução(pág.120)
12 -Que alterações ocorreram com a revolução francesa? ( liberdade, igualdade e fraternidade..)(pág.120)
13- Depois de um período conturbado os franceses viram subir ao poder Napoleão Bonaparte.Que fez ele e o que aconteceu à Europa?(pág.122)
14-Que ideias chave ficaram da revolução francesa e que mais tarde alastraram a muitos lados no mundo?(pág.124)
15-A Revolução Liberal Portuguesa: As invasões francesas: porque se dão?A fuga do rei para o Brasil-quem fica cá a defender o país?A revolução de 1820: o que mudou?(pág.126)
16- O retorno do rei e a guerra civil entre dois irmãos- causas dessa guerra.( D,Pedro liberal e D.Miguel absolutista)(pág.128)
16- O triunfo da Monarquia Constitucional: após um periodo conturbado de guerra civil Portugal vai finalmente conseguir estabilizar-se e fazer reformas liberais de fundo:quais foram essas reforma e quem foi o seu obreiro? ( Mouzinho da Silveira)(pág.130)
17-Quem foi a parte do povo que mais lucrou com esta revolução liberal?(pág.130)

OBJECTIVOS PARA O TESTE DO 8º 2 MARÇO 2010

1-Explica o que foi o despotismo Esclarecido.
2-O que fez o Marquês de Pombal para reforçar a autoridade do rei e conseguir um estado forte?Que medidas tomou?
3-Quem foram os grupos sociais - clero e nobreza- que ele persegui e qual aquele -burguesia-que protegeu e o ajudou na sua tarefa?
4-Pombal vai retomar as ideias mercantilistas do Conde da Ericeira. O país estava numa grave crise.Porquê?
a) que medidas tomou o Marquês para desenvolver a nossa economia?
5 - O tremor de Terra de 1755. Que fez o Marquês em Lisboa após o grande tremor de terra?
6-A arte Barroca: refere as principais características gerais dessa arte.
a) Caracteriza a arquitectura barroca.

7- O Nascimento do método cientifico: caracteriza esses método que se dividia em 3 partes.
b) Refere quem se opunha a essas inovações :inquisição....

8- O iluminismo: o que defendia esta ideia ? Dá exemplo de iluministas...
a) Como se difundiram pela Europa esta novas ideias iluministas?
b) E em Portugal foi fácil esta ideias entrarem cá dentro? Quem foram os estrangeirados?
c) Refere 3 aspectos importantes que o Marquês de Pombal fez quando reformou o ensino em Portugal.

COMO ESTUDAR

OBJECTIVOS PARA O TESTE DO 9ºANO MARÇO 2010

1- Em 1926 aconteceu algo em Portugal em consequência do fracasso da 1ª República: refere o acontecimento e as consequências que ele teve para o nosso país.
2-A revolução no conhecimento cientifico no inicio do século XX abalou grande parte da fé que as pessoas depositavam na ciência.
Refere o que aconteceu nessa área.
3- A arte -Ruptura e inovação: explica as duas razões principais que levou os artistas do inicio do século XX a fazer uma revolução nas artes .
4- Faz um pequeno resumo do Cubismo, Abstraccionismo, Futurismo, Expressionismo e Surrealismo.Dá exemplos de quadros dos principais pintores desses estilos.
5-A nova arquitectura - refere os aspectos principais desta nova tendência arquitectónica: as suas influências e materiais utilizados..
6-A CRISE DE 29- a crise americana.
a)Razões dessa crise: Especulação bolsista a Superprodução e a deflação...
b) Consequências dessa crise: Crash da Bolsa de Nova York, falências de empresas, milhões de desempregados, consumo muito baixo, bancos na falência, falta de crédito....

6.1- A dimensão Mundial da crise. A crise estende-se a todo o mundo: na Europa e pai´se produtores de matéria prima. Porquê?

6.2- O NEW DEAL. A intervenção do estado na economia como regulador.
a) F.Roosevelt foi o presidente americano que mais fez para fazer sair os E.U.A da crise económicas e social em que estava mergulhado. refere o que foi o seu programa económico-o new deal8 a nova distribuição)-
b) Que conclusão se pode retirar do New Deal?Ajudou ou não a retira a América da crise ?

Bom trabalho!

OS LOUCOS ANOS 20

INVENÇÕES MALUCAS DOS ANOS 20...

CRISE DA MONARQUIA-1ª REPÚBLICA -RESUMO

CRISE DA MONARQUIA- MOTIVOS:

ð Ultimato Inglês.

ð Crise económica e financeira (industrialização lenta, situação de endividamento externo)

ð

ð Descontentamento social.

ð Difusão de ideias republicanas.

REGICIDIO

ð Assassinato de D. Carlos e do seu filho mais velho.

ð Os responsáveis pelo regicídio eram da Carbonária( sociedade secreta, defensora das conquistas da liberdade, impunha aos seus filiados a posse de uma arma e respectivas munições.)

IMPLANTACÃO DA REPÚBLICA

ð 5 de Outubro de 1910.

ð Foi criado um governo provisório dirigido por Teófilo de Braga.

ð Em 21 de Agosto de 1911 foi aprovada uma nova constituição que estabelece um regime democrático parlamentar.

ð Poder legislativo » CONGRESSO » CAMÂRA DOS DEPUTADOS E SENADO

ð Poder executivo »Presidente da República e ministros

ð Poder Judicial »Tribunais



MEDIDAS TOMADAS PELO GOVERNO DA 1º REPUBLICA:

Leis de separação da Igreja e do Estado:

ð Proibição do ensino religioso nas escolas públicas.

ð Expulsão das ordens religiosas.

ð Nacionalização dos bens da Igreja.

Medidas de carácter social ( A base da sociedade portuguesa era constituída por camponeses, artesãos, empregados públicos e comerciantes, na sua maioria pouco instruídos ou analfabetos e tinham fraca consciência dos seus direitos e deveres).

ð Direito á greve.

ð Protecção à infância e à velhice.

ð Horário semanal fixo em 48 horas.

ð Direito ao divórcio e ao casamento civil.

ð Igualdade entre filhos legítimos e ilegítimos.

ð Igualdade dos direitos da mulher.

ð Proibição do trabalho infantil.

Medidas no domínio da educação:

ð Escolaridade obrigatória entre os 7 e os 10 anos.

ð Criação de jardins-de-infância.

ð Aumento do numero de escolas primárias.

ð Reforma do ensino técnico.

ð Criação de universidades.

INDUSTRIA:

ð Predominavam a indústria do tabaco, metalurgia, conservas cimentos e têxteis.

ð Predomínio de industria de dimensão média ou pequena.

ð A indústria de maior dimensão era a indústria têxtil.

ð Embora não houvesse abundância de matérias-primas, capitais nem técnicos especializados, verificou-se um ligeiro desenvolvimento a partir de meados do séc. XIX

AGRICULTURA

ð O país era predominantemente agrícola mas esta continuava pouco desenvolvida.

ð A produção de cereais era fraca.

ð Foram elaborados vários projectos para proceder a remodelações nesta área mas nunca se conseguiu fazer nenhuma reforma agrária.

DIFICULDADES DA ACÇÃO GOVERNATIVA:

ð Divergências no interior do partido republicano resultantes de questões entre os seus dirigentes e da dificuldade em cumprir o programa.

ð Falta de maioria partidária no Congresso (parlamento).

ð Instabilidade política (sucessão de vários governos.)

MOTIVOS QUE LEVARAM PORTUGAL A PARTICIPAR NA 1ª GUERRA:

ð Defesa das colónias (Angola e Moçambique).

ð Ajuda aos Aliados.

ð Necessidade de reconhecimento da República (O regime republicano iria ser respeitado internacionalmente se os aliados ganhassem a guerra.)

ð Pedido da Inglaterra para que fossem confiscados os barcos Alemães ancorados nos portos nacionais.

ð Formação da CEP (Corpo Expedicionário Português) – Participação na batalha de LA LYS em França. (os portugueses bateram-se corajosamente apesar de serem derrotados.

CONSEQUÊNCIAS:

ð Agravamento da situação económica e social (aumento do custo de vida, escassez de bens de primeira necessidade, fome, aumento dos impostos, desemprego).

ð Perdas humanas.

ð Instabilidade politica.

DITADURA MILITAR:

ð Os governos continuavam a suceder-se e começou a gera-se uma ideia de que o exercito era a única força capaz de por ordem no pais.

ð Em 28 de Maio de 1926 , as tropas comandadas pelo General Costa Gomes marcharam sobre Lisboa e derrubaram o governo.

ð Os militares substituíram a Republica por uma Ditadura Militar.

OS LOUCOS "ANOS 20 "-RESUMO

Os "loucos anos 20" e as mutações nos comportamentos e na cultura
"Os anos 20 (1924-1929) foram anos de prosperidade. O "American way of life" ("estilo de vida à americana") invadiu a Europa. Aos benefícios da sociedade de consumo associou-se a busca de prazer e a evasão e intensificou-se a vida nocturna. Os teatros, os cinemas, os night-clubs e outras salas de espectáculos e de jogos das grandes cidades tornaram-se locais habitualmente frequentados. As novas bebidas (cocktail), as novas músicas (sobretudo o jazz) e as novas danças (charleston, lambeth walk, swing e rumba) passaram a animar a vida nocturna. Rallies de automóveis, corridas de carros e de cavalos e outros desportos (como o futebol) constituíam outros divertimentos que envolviam grandes massas. O rápido desenvolvimento dos meios de transporte (comboio, automóvel, avião) e dos meios de comunicação (rádio, telégrafo, telefone...) acelerou o quotidiano das pessoas, favorecendo uma maior mobilidade espacial e do ritmo de vida. A moda de viajar entrou nos hábitos e prazeres das classes médias. Às viagens de negócios acrescentaram-se as viagens lúdicas, de turismo, quer no interior dos próprios países, quer para países estrangeiros, criando-se e desenvolvendo-se novas infra-estruturas para apoio destes lazeres: agências de viagens, serviços de hotelaria especializados, mapas, guias turísticos, bilhetes-postais ilustrados, etc. Paralelamente a este novo estilo de vida, o período entre as duas guerras mundiais caracrterizou-se por uma latente inquietação e instabilidade nos comportamentos sociais. A pas estabelecida pelo Tratado de Versalhes, que pôs fim à 1.ª Guerra Mundial (1919), foi uma paz aparente, já que, na Alemanha e na Itália, o nazismo e o fascismo iniciavam a sua caminhada galopante. A crise de 1929 viria a agravar essa instabilidade gerando mesmo angústias e miséria que iriam ter consequências a todos os níveis."

Eric Hobswam, A Era dos Extremos, Editorial Presença

OBJECTIVOS PARA O TESTE DE FEVEREIRO - 8º ANO

1-A ARTE NO RENASCIMENTO-Carcterizar de forma geral:

a) Pintura

b)Arquitectura

c)Escultura



2-O MANUELINO - A arte Manuelina em Portugal:caracterizar


3- O TEMPO DAS REFORMAS RELIGIOSAS. A CRISE NA IGREJA CATÓLICA. CONTESTAÇÃO E RUPTURA
3-1- A CRISE



a)Razões da crise da igreja católica: imoralidade, corrupção, vida luxuosa as indulgências...


b) O protetantismo: Martinho Lutero. Caracteriza o movimento protestante - Contra as indulgências, só reconhece 2 sacramentos...

c) O Calvinismo...a predestinação...


d) O Anglicanismo:A história do Henrique VIII


3-2--A CONTRA REFORMA

a) O Concilio de Trento


b) A fundação da Companhia de Jesus, a Inquisição e o Índex: o que eram?


4- A CRISE DO IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

a)Razões da crise o do Império Português do Oriente-corrupção, concorrência de outros países.


4-1- A UNIÂO IBÉRICA

a) Raqzões dessa união: a morte do rei D.Sebastião em Álcacer Quibir em 1580...não deixa descendentes..


b)Quem foram os candidatos ao trono e quem lá ficou?

4-2- A ASCENSÂO ECONÓMICA DA EUROPA DO NORTE: HOLANDA E INGLATERRA

a) Holanda: razões da prosperidade económica. Economia activa, burguesia empreendedora, grande império colonial, grande frota maritima. existência de bancos e bolsas..

b) Inglaterra: Burguesia forte e empreendedora, grande império colonial, O ACTO DE NAVEGAÇÃO...existência de bancos e bolsas..

c) A Espanha entra em crise e Portugal retoma a sua independência em 1 de Dezembro de 1640.

d) Refere as razões do descontentamento dos portugueses em relação aos espanhóis e que levaram á independência de Portugal.

5- O MERCANTILISMO.


a) Ideia chave do Mercantilismo:Um país é mais rico quanto mais ouro e prata possuir.


Explica o que era o Mercantilismo e que medidas se deviam tomar para implementar estas ideias económicas.

b) A sociedade de Ordens: Caracteriza as seguintes classes sociais


REI ABSOLUTO-acima de todas as classes.


CLERO


NOBREZA


TERCEIRO ESTADO - povo e burguesia





ESTUDA E TERÁS UM BOM TESTE!







OBJECTIVOS PARA O TESTE DE FEVEREIRO 9º ANO

1- PORTUGAL: DA I REPÙBLICA Á DITADURA MILITAR DE 1926
a) Crise e queda da monarquia: razões que levaram a isso: o descontentamento das classes médias e do operariado. O Ultimato Inglês ,etc..
b) A Revolução Republicana: os antecedentes: a revolta de 31 de Janeiro de 1891 no Porto
c) O fim da monarquia:
a) O assassinato do rei D.Carlos em 1908-o principío do fim da monarquia.
b) 5 de Outubro de 1910. A implantação da república e afuga dom rei D.Manuel II para Inglaterra.
1-1- REALIZAÇÕES DA 1ª REPÚBLICA:
-combate ao analfabetismo
-melhores condições de trabalho( dia de descanso, 48 horas de trabalho semanal..)
-legalização do divórcio
-separação do estado da igreja-registo civil obrigatório
1-2- DIFICULDADES DA ACÇÃO GOVERNATIVA DA 1ª REPÚBLICA:
-instabilidade política
-participação de Portugal na 1ª Guerra Mundial
-agravamento das dificuldades económicas e socias do país e da população
- A reacção autoritária e a ditadura miltar de 28 de Maio de 1926

2- SOCIEDADE E CULTURA EM MUDANÇA

2-1- Mutações na estrutura social e nos costumes
a) O Mundo antes da 1ª Guerra Mundial: a Belle Époque.. os temps de lazer...O peso crescente das classes médias.
b) Alterações no código social e moral: os loucos anos 20. A emancipação feminina- a mulher trabalha , veste-se de forma ousada muda o seu visual luta por ter direito ao voto.
c) Os meios de comunicação de massas: jornais , revistas , rádio, cinema...

Estuda e terás um bom teste!


SÍntese da Crise da Monarquia Portuguesa

FICHAS DE AVALIAÇÃO....DO 2º PERÍODO....


8ºANOS


1º TESTE


8º 2 - 9 DE FEVEREIRO



2º TESTE



8º 2 - 19 DE MARÇO




9º ANOS



1ºTESTE.



9º1- 9 DE FEVEREIRO



9º2- 10 DE FEVEREIRO



9º3 -18 DE FEVEREIRO




2º TESTE



9º1 - 16 DE MARÇO


9º2 - 17 DE MARÇO


9º3 - 18 DE MARÇO







PORTUGAL MONÁRQUICO (1890-1910) [Parte 1/3]...

OBJECTIVOS PARA O TESTE DO 8º ANO DEZEMBRO 2009

1- Os Portugueses na África Negra:
-os produtos da costa africana
-as feitorias
-o monopólio régio
2- O Império português do Oriente.
-Os vice reis: D.Francisco da Almeida e Afonso Albuquerque
Que decisões tomaram?
3- A rota do Cabo- o que foi?
4- O Brasil: O descobrimento . A divisão administrativa - em 15 capitanias e mais tarde o Governador Geral.
-Que produtos os portugueses obtiveram de lá no início?
-O que foi a aculturação.?
5- O comércio á escala mundial
- as rotas intercontinentais -3 rotas
- as 2 cidades mais importantes da Europa na altura: Lisboa e Sevilha. Que produtos lá chegavam?
-qual foi a classe social mais beneficiada pelos descobrimnetos e pelo respectivo dinamismo comercial que adveio com os mesmos?
-o que foi a politica de transporte? - os países Ibéricos não se desenvolveram com as riquezas provenientes do ouro e das especiarias trasnportando essas riquezas para os países do norte da Europa...
- os novos hábitos alimentares dos europeus com os descobrimentos -o milho, açucar, batata...

6- O Renascimento

-Onde nasceu?
-Onde foi beber as ideias?
-O que foi?
A mentalidade renascentista
-O humanismo
-Do Geocentrismo ao Heliocentrismo
-Do Teocentrismo ao Antropopcentrismo
-O homem ideal do renascimento-como era?
O alargamento da compreensão da Natureza
O Método Cientifico
-Observação-experiência -conclusão( uso da razão)...
-Como se espalharam as ideias renascentista pela Europa:
-A invenção da Imprensa, as viagens dos intelectuais os colégios e as universidades
-Figuras do Renascimento. Luísa de Camões, Damião de Góis, Miguel Cervantes, Maquiavel, Erasmo de Roterdão..etc...

ESQUEMA SÍNTESE DO RENASCIMENTO -8º ANO

TESTE TREINO PARA HISTÓRIA DO 9º ANO


AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE GONDIFELOS

ANO LECTIVO DE 2009/10

Nome____________Nº_______Turma_____Data________


Disciplina______________Oprofessor_______________


Classificação___________________________________________


Encar. Educação___________________________________

1 -O Tratado de Versalhes foi humilhante para a Alemanha porque:

Foi um tratado imposto.

Foi um tratado negociado.

Impôs à Alemanha condições muito humilhantes.

Impôs à Alemanha condições suaves.

Obrigou a Alemanha a reconhecer-se como única culpada da guerra.

A Alemanha foi reconhecida como vítima da guerra.

2 -Entre as condições impostas à Alemanha, contam-se:

Perder territórios na Europa (Renânia e Sarre).

O pagamento de indemnizações de guerra.

Redução do exército e

Ganhar novas colónias.

Redução do exército e aumento do armamento.

Receber indemnizações de guerra.

Perder colónias.

Perder territórios na Europa (Alsácia-Lorena e Sarre).

II

Relativamente a cada uma das afirmações, assinala se a mesma é verdadeira ou falsa.

A economia russa do início do séc. XX baseava-se na agricultura, que era bastante produtiva.

? Verdadeiro

? Falso

A indústria entrou bastante tardiamente no território russo.

? Verdadeiro

? Falso

A nível social, a nobreza e o clero eram os grupos sociais com mais privilégios.

? Verdadeiro

? Falso

O povo era composto por uma maioria de operários.

? Verdadeiro

? Falso

A nível político, o poder era dominado por um presidente da República.

? Verdadeiro

? Falso

Em 1907, ocorreu a primeira tentativa de revolução no território russo.

? Verdadeiro

? Falso

A 1ª Guerra Mundial veio agravar a situação económica e social na Rússia.

? Verdadeiro

? Falso

III

1 Relativamente a cada uma das afirmações, assinala se a mesma é verdadeira ou falsa.

Em Fevereiro de 1917, ocorreu a Revolução Burguesa.

? Verdadeiro

? Falso

Esta Revolução consistiu numa série de actos violentos contra o czar.

? Verdadeiro

? Falso

O poder foi assumido por um governo radical.

? Verdadeiro

? Falso

Nesta altura, foram criados os sovietes, comités revolucionários formados por soldados, operários, camponeses, funcionários públicos...

? Verdadeiro

? Falso

Em Outubro de 1917, ocorreu a Revolução Bolchevique.

? Verdadeiro

? Falso

A Revolução de Outubro ocorreu porque o Governo Provisório queria tirar a Rússia da guerra.

? Falso

? Verdadeiro

A primeira fase da Revolução ficou conhecida como socialismo de guerra.

? Falso

? Verdadeiro

A nacionalização da economia levada a cabo durante a primeira fase consistiu na expropriação da propriedade privada, na entrega das colheitas ao Estado e na nacionalização das indústrias; o Estado detinha ainda o monopólio dos principais sectores da economia.

? Falso

? Verdadeiro

A nacionalização da economia permitiu o desenvolvimento económico da Rússia.

? Verdadeiro

? Falso

Para resolver a situação provocada pela nacionalização da economia foi criada a Nova Política Económica (NEP).

? Falso

? Verdadeiro

Entre outras medidas, a NEP estabeleceu a proibição do comércio interno, a liberdade de criação de pequenas empresas e a entrada de capitais e técnicos estrangeiros; o Estado manteve o monopólio sobre os principais sectores da economia.

? Falso

? Verdadeiro


Podes corrigir o teste através deste site:


FICHAS DE TRABALHO 7º 8º E 9º ANOS




RESUMO DA REVOLUÇÃO RUSSA

OBJECTIVOS PARA O TESTE 9º ANO - NOVEMBRO


1- Causas da 1ª GUERRA

2- O tratado de Versalhes

3- Consequências da 1ª Guerra Mundial:politicas, sociais , económicas e demográficas

4-A Sociedade da Nações: objectivos e razões do seu fracasso.

5- A Rússia dos czares: a situação politica social e económica na Rússia antes da revolução.

5- As duas revoluções: Fevereiro – Revolução burguesa – razões do seu falhanço e a Revolução de Outubro: a criação de uma sociedade sem classes caracterizar.

6 – O comunismo de guerra e a NEP – o que foram?

OBJECTIVOS PARA O TESTE 8º ANO...Outubro 2009


1-O dinamismo do mundo rural nos séculos XII e XIII:

a) referir as razões que levaram a esse dinamismo

b) dizer os principais progressos económicos na agricultura e transportes nos séculos XII e XIII

c) relacionar esse progressos com o aumento da produtividade agrícola

d) explicar o crescimento demográfico - aumento da população - que aconteceu nessa época.

e) relacionar as transformações económicas dos séculos XII e XII com o crescimento das cidades




2 -Crise Século XIV:

a) refere os factores que levaram a essa crise na Europa.

b) relaciona a quebra demográfica-diminuição da população com as epeidemias e quebra de produção.

c) explica a razão de haver tantas revoltas sociais na Europa desses tempos

d) descreve o processo que levou á crise de 1383/85 em Portugal

e) com esta crise o país ficou dividido: quem apoiou quem neste conflito ( D.Beatriz e o rei de Castela e/ou o Mestre de Aviz)



3 - A Expansão Portuguesa

a) refere as razões que levaram aos Descobrimentos

b) porque foi Portugal o 1º país a iniciar a Expansão? Condições da prioridade..

c) Os rumos da Expansão: a conquista de Ceuta : razões do fracasso dessa conquista

d) A redescoberta das ilhas atlânticas: referir as formas de exploração e administração dessas ilhas da Madeira e dos Açores.-quem eram os capitães donatários e que produtos eram lá explorados?



OBJECTIVOS PARA O TESTE DO 9º ANO -Outubro Novembro 2009


1- A 2ª Revolução Industrial.



a) Quais as novas fontes de energia utilizadas?

b) que alterações se produziram no quotidiano das pessoas com as invenções que ocorreram nessa época?

c) o liberalismo económico e o capitalismo financeiro-o que era?

d) relaciona a revolução demográfica com o crescimento das cidades que ocorreu nessa altura

d)A emigração : explica as razões para essa emigração maciça que começou em meados do século XIX e que prossegui no século XX.

e) o novo urbanismo: refere as razões desse novo urbanismo.A cidade dos ricos e a cidade dos pobres.


2- Contrastes e antagonismos sociais:



a)O mundo social: A alta e média burguesia -caracteriza ambas.

b)O mundo do operariado: a falta de direitos e condições de vida.Os sindicatos-qual o seu papel na melhoria das condições de vida e trabalho da classe operária.?

d) o caso português: razões da difícil, industrialização em Portugal.

e) o que foi o Fontismo?


3- Hegemonia e declínio da influência europeia:




a) Europa a rainha do mundo: nos finais do século XIX e inícios do século XX a Europa afirmava a sua superioridade sobre o resto do mundo-explica a razão dessa superioridade.

b) explica a razão da corrida ás áreas de influência e de novas colónias por parte dos países europeus.

c)o que foi a Conferência de Berlim e o que se decidiu lá?

d) explica o que foi o "Mapa cor de rosa" e relaciona-o com o Ultimatum que a Inglaterra nos fez.



A 1ºA Guerra Mundial:





a) Refere os principais factores que conduziram à guerra

b)Quem fazia parte das Tríplice Entente e da Tríplice Aliança..?Qual o objectivo destes acordos militares entre países?

d) que aconteceu em Sarajevo na Bósnia em 28 de Junho de 1914?Que consequências teve para a Europa?

e) que novas armas são utilizadas nesta guerra?

f) refere as várias fases da guerra- o inicio, a guerra das trincheiras e a entrada dos E.U.A na guerra.

g) no teu entender a Europa beneficiou com esta guerra? E quem foi que saiu a ganhar com a mesma?


FICHAS DE AVALIAÇÃO - 1º PERÍODO

8º 2 - DIA 27 OUTUBRO E 4 DE DEZEMBRO


9º ANO -9º 1 - 27 OUTUBRO E 24 NOVEMBRO


9º 2 - 28 OUTUBRO E 9 DE DEZEMBRO

9º3 - 5 NOVEMBRO E 10 DEZEMBRO



ENTREGA DE TRABALHOS GRUPO -TEMAS A ENTREGAR ATÉ 26 DE OUTUBRO - ATÉ 4 DE DEZEMBRO

PORTUGAL: DE CONDADO A REINO....

A REVOLUÇÂO FRANCESA

CRISTÂOS E MUÇULMANOS NA PENÍNSULA IBÉRICA

A REVOLUÇÃO AMERICANA...

AS REVOLUÇÔES LIBERAIS

Cerimónias do contrato de vassalagem


Cerimónias do contrato de vassalagem



O contrato de vassalagem era realizado entre um senhor mais poderoso (o suserano) e outro menos importante (o vassalo) que voluntariamente se colocava na sua dependência.
Na Idade Média, o rei era o único senhor que não dependia de ninguém. Ele era o suserano dos suseranos.


Esquema de um domínio senhorial










































Legenda:
1. Castelo
2. Reserva (terras do senhor)
3. Igreja
4.Aldeia
5.Mansos
6. Moinho
7. Caminho para o forno e para o lagar

A PIRÂMIDE FEUDAL

A RevoluçãO AgríCola E O Arranque Da RevoluçãO Industrial

A queda do império romano e o novo mapa da Europa...


Uploaded on authorSTREAM by oprofdehistoria

A ARTE BARROCA

A REVOLUÇÃO CIENTIFICA...

O EXÉRCITO ROMANO

O MERCANTILISMO 1

MERCANTILISMO 2

OS GLADIADORES EM ROMA...

Cosmos Episodio 6 parte 2/7..As viagens oceânicas...o poderio da holanda no século XVII

O IMPÈRIO ROMANO...

Roma e o Império...


Uploaded on authorSTREAM by oprofdehistoria

Péricles e o Império Ateniense...

OBJECTIVOS PARA O TESTE DE FEVEREIRO - 7ºANO.

1 – Localizar espacialmente a Grécia, Atenas, o mar Egeu e Jónio.
2 – Explicar como se formaram as cidades-estados gregas.
3– Que elementos deveriam existir numa cidade-estado?
4 – Referir as principais actividades económicas dos gregos.
5 – Como estava dividida a sociedade ateniense?
6 – Identificar as instituições políticas atenienses e as suas funções.?
7– Caracteriza a educação dos jovens atenienses.
8– Comentar a seguinte expressão: “mente sã em corpo são”?
9– Identificar os principais Deuses gregos
10 – Caracterizar a religião grega.
11 – Referir as principais características da arquitectura, escultura e pintura dos gregos.

Objectivos para o teste de Fevereiro - 8º Anos...

O RENASCIMENTO

1 - Caracteriza a nova visão do Homem e do Mundo a partir da Idade Moderna.
2 - Compara a teoria Geocêntrica com a teoria Heliocêntrica.
3 - Quais as vantagens da do aparecimento da Imprensa?
4 - Quais as principais características da arquitectura Renascentista?
5- Quais são as principais características da Escultura Renascentista?
6 - Quais são as principais características da pintura Renascentista?
7 - Identificar e caracterizar o estilo arquitectónico presente em Portugal no reinado de D.Manuel : o Estilo Manuelino.


A CRISE NA IGREJA: A REFORMA E A CONTRA REFORMA
1 - Refere as principais críticas feitas à Igreja Católica.
2 - Identificar o que eram as bulas de Indulgências.
3- Nomear os principios defendidos pela Igreja protestante.
4 - Identificar os fundadores da Igreja Luterana, Calvinista e Anglicana.
5 - Quais foram os principais objectivos do Concilio de Trento?6 - Refere os principais objectivos da Companhia de Jesus.
7 - Quais eram os obectivos da Inquisição?
8 - O que era o Index?

A CRISE NO IMPÈRIO PORTUGUÊS -A UNIÂO IBÈRICA

9 - Identificar os principais factores que levaram à crise do Império Português.?
10 - Em que consistiu o problema de sucessão ao trono de Portugal, após a morte do cardeal D.Henrique?
11 - Identifica os pretendentes ao trono português

A INQUISIÇÃO....

A GRÉCIA ANTIGA

View SlideShare presentation or Upload your own.

O TEMPO DAS REFORMAS RELIGIOSAS NA EUROPA


Uploaded on authorSTREAM by cicero

O RENASCIMENTO


Uploaded on authorSTREAM by cicero

O ANTIGO EGIPTO


Uploaded on authorSTREAM by sofiasimao

O EGIPTO

O Antigo Egipto
View SlideShare presentation or Upload your own. (tags: o antigo)

A EXPANSÃO PORTUGUESA


Uploaded on authorSTREAM by oprofdehistoria

A DESCOBERTA DA INDIA

Os Descobrimentos

A Expansão marítima
View SlideShare presentation or Upload your own. (tags: expansão marítima)

A Crise do Século XIV

domingo, 21 de fevereiro de 2010

INDICE DO BLOGUE

Popular Keywords

1 - 25

Keywords
1 historia 7o ano testes
2 testes historia 7o ano
3 história 8o ano fichas
4 testes 7o ano história
5 testes historia 7 ano
6 testes historia 7º ano
7 fichas 8o ano história
8 teste história 7o ano
9 testes 7º ano historia
10 testes de historia 7 ano
11 historia 7º ano fichas
12 testes 7ºano história
13 contrato de vassalagem
14 teste historia 7º ano
15 fichas historia 8º ano
16 testes história 7º Ano
17 hominizaçao
18 teste 7º ano gregos
19 testes hostoria 7º ano
20 civilização fenicia ppt
21 fichas história 7º
22 loucos anos 20 historia
23 teste 7 ano grecia
24 historia 7ºano fichas
25 teste de historia 7 ano
26 - 50

Keywords
26 fichas história 8o ano
27 fichas historia 7º ano
28 loucos anos 20 ppt
29 o egipto fichas 7º ano
30 historiagondifelos
31 testes 7ºano historia
32 historia gondifelos
33 fichas historia 8o ano
34 testes grecia
35 fichas trabalho 3ºciclo
36 ficha historia egipto
37 ficha historia 8º ano
38 teste Egipto 7º ano
39 historia 7º ano fichas
40 histoiriagonjdifelos´
41 testes historia 8 ano
42 egipto fichas
43 fichas sobreo neolitico
44 TESTE GRECIA 7 ANO
45 teste 7º ano História
46 Historia teste 7 ano
47 teste renascimento 8º
48 teste 7 egipto
49 Egipto 7º Ano teste
50 blog historia Gondifelos
51 - 75

Keywords
51 história gondifelos
52 testes história 7o ano
53 historia testes 7º ano
54 historia 7º ano testes
55 ficha trabalho egipto
56 egipto fichas 7º ano
57 testes 7º história
58 teste de historia7 ano
59 testes 9o ano história
60 Testes 8ºano Manuelino
61 fichas avaliação egipto
62 testes de história 7º
63 testes 3o ciclo
64 7º ano historia testes
65 teste 9o ano história
66 egipto 7º ano fichas
67 fichas sobre o neolitico
68 povos barbaros imagens
69 Egipto fichas
70 inicio humanidade
71 peste negra ppt
72 mapas do povos barbaros
73 sociedade tripartida
74 loucos anos vinte ppt
75 teste 9º ano fordismo
76 - 100

Keywords
76 fichas sobre egipto
77 os loucos anos 20
78 tipos de clero
79 sociedade egípciappt
80 video hominização
81 teste história 7ºano
82 o egipto testes 7º ano
83 Gondifelos blog
84 3 ciclo historia
85 cattoniasandra
86 hominização powerpoint
87 fotospovos barbaros
88 inicio da humanidade
89 o contrato de vassalagem
90 powerpoint neolitico
91 testes 7 ano historia
92 teste historia 7o ano
93 história 7º ano testes
94 história 7 ano testes
95 testes 7º historia
96 google pt gondifelos
97 fichas do 3º ciclo
98 neolitico ppt
99 simbolo da monarquia
100 loucos anos 20 wikipedia

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

5 DE OUTUBRO DE 1910 - A IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA

5 de Outubro - Implantação da República



                                                            BANDEIRA MONÁRQUIC A

• Portugal foi, desde a sua fundação, governado por reis. A essa forma de governo chama-se monarquia.

• No entanto, nos finais do século XIX, havia muitas pessoas que achavam que a monarquia não era a melhor forma de governar um país: o rei reinava a vida toda.

• Quando morria era o filho mais velho, o príncipe, que tomava o seu lugar.

• Os problemas que as pessoas viam na monarquia eram devidos a coisas muito simples:

E se o rei governasse mal?

E se fosse cruel para com os súbditos (o povo)?

E se ficasse doente ou louco?

E se tivesse ideias extravagantes que prejudicassem as pessoas?

E se decidisse mal coisas importantes para o país?

E se se deixasse influenciar demais por pessoas com más intenções?

• Claro que estes problemas podem acontecer com qualquer governante, fosse ele um rei ou outro...

No entanto, as vantagens de uma forma de governar diferente eram vistas como boas. Seria um sistema diferente: uma república.

• As repúblicas têm dirigentes eleitos por períodos de tempo mais curtos, e o controlo do poder parecia mais eficaz.


• Por tudo isto, grupos de cidadãos portugueses, partidários de um sistema de governo republicano, foram-se revoltando e acabaram por conseguir terminar com a monarquia e implantar a República, como vinha acontecendo noutros países da Europa.





• Isto aconteceu a 5 de Outubro de 1910.





• A República foi proclamada dos Paços do Concelho (a Câmara Municipal) em Lisboa. A importância deste facto foi tal que se decidiu que essa data fosse um dia feriado.

• O último rei foi D. Manuel II que partiu para Inglaterra com a restante família real, ficando aí a viver no exílio.

• O primeiro presidente foi Teófilo Braga, mas foi apenas presidente do Governo Provisório até às eleições, onde foi eleito como primeiro Presidente de Portugal Manuel de Arriaga.

Clica aqui para saberes quem foram os Presidentes portugueses.

• A implantação da República fez com que Portugal mudasse a sua bandeira e o seu hino para aqueles que temos actualmente e o nome da sua moeda para o escudo.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

OBJECTIVOS PARA O TESTE DO 9º ANO


1- A 2ª Revolução Industrial.



a) Quais as novas fontes de energia utilizadas?
b) que alterações se produziram no quotidiano das pessoas com as invenções que ocorreram nessa época?
c) o liberalismo económico e o capitalismo financeiro-o que era?
d) relaciona a revolução demográfica com o crescimento das cidades que ocorreu nessa altura
d)A emigração : explica as razões para essa emigração maciça que começou em meados do século XIX e que prossegui no século XX.
e) o novo urbanismo: refere as razões desse novo urbanismo.A cidade dos ricos e a cidade dos pobres.

2- Contrastes e antagonismos sociais:



 a)O mundo social: A alta e média burguesia -caracteriza ambas.
b)O mundo do operariado: a falta de direitos e condições de vida.Os sindicatos-qual o seu papel na melhoria das condições de vida e trabalho da classe operária.?
d) o  caso português: razões da difícil, industrialização em Portugal.
e) o que foi o Fontismo?


3- Hegemonia e declínio da influência europeia:




a) Europa a rainha do mundo: nos finais do século XIX e inícios do século XX a Europa afirmava a sua superioridade sobre o resto do mundo-explica a razão dessa superioridade.
b) explica a razão da corrida ás áreas de influência e de novas colónias por parte dos países europeus.
c)o que foi a Conferência de Berlim e o que se decidiu lá?
d) explica o que foi o "Mapa cor de rosa" e relaciona-o com o Ultimatum que a Inglaterra nos fez.



A 1ºA Guerra Mundial:





a) Refere os  principais factores que conduziram à guerra

b)Quem fazia parte das Tríplice Entente e da Tríplice Aliança..?Qual o objectivo destes acordos militares entre países?
d) que aconteceu em Sarajevo na Bósnia  em 28 de Junho de 1914?Que consequências teve para a Europa?
e) que novas aramas são utilizadas nesta guerra?
f) refere as várias fases da guerra- o inicio, a guerra das trincheiras e a entrada dos E.U.A na guerra.
g) no teu entender a Europa beneficiou com esta guerra? E quem foi que saiu a ganhar com a mesma?

OBJECTIVOS PARA O TESTE DO 8ª ANO ...





1-O dinamismo do mundo rural nos séculos XII e XIII:
a) referir as razões que levaram a esse dinamismo

b) dizer os principais progressos económicos na agricultura e transportes nos séculos XII e XIII
c) relacionar esse progressos com o aumento da produtividade agrícola
d) explicar o crescimento demográfico - aumento da população  - que aconteceu nessa época.
e) relaciona  as transformações económicas dos séculos XII e XII com o crescimento das cidades




2 -Crise Século XIV:
a) refere os factores que levaram a essa crise na Europa. 
b) relaciona a quebra demográfica-diminuição da população com as epidemias e quebra de produção.
c) explica a razão de haver tantas revoltas sociais na Europa desses tempos
d) descreve o processo que levou á crise de 1383/85 em Portugal
e) com esta crise o país ficou dividido: quem apoiou quem neste conflito ( D.Beatriz e o rei de Castela ou o  Mestre de Aviz) 



3 - A Expansão Portuguesa
a) refere as razões que levaram aos Descobrimentos
b) porque foi Portugal o 1º país a iniciar a Expansão? Condições da prioridade..
c) Os rumos da Expansão: a conquista de Ceuta : razões do fracasso dessa conquista
d) A redescoberta das ilhas atlânticas: referir as formas de exploração e administração dessas ilhas da Madeira e dos Açores.-quem eram os capitães donatários e que produtos eram lá explorados?


terça-feira, 22 de setembro de 2009

História 3º CICLO - Agrupamento de Escolas de Gondifelos: SABER ESTUDAR È SABER APRENDER...

História 3º CICLO - Agrupamento de Escolas de Gondifelos: SABER ESTUDAR È SABER APRENDER...

SABER ESTUDAR È SABER APRENDER...





O teu professor preparou um pequeno teste para que possas avaliar os teus hábitos de estudo e, de acordo com os resultados, modificar alguns comportamentos.
Aceitas o desafio? então responde às questões, anotando as respostas.
QUESTÕES:
1. Estas atento nas aulas? Sim Não
2. Participas nas aulas? Sim Não
3. Costumas tirar apontamentos durante as aulas? Sim Não
4. Costumas colocar dúvidas ao professor? Sim Não
5. Fazes os trabalhos de casa? Sim Não
6. Fazes pequenos resumos da matéria estudada? Sim Não
7. Consultas outras obras que não só o manual escolar? Sim Não
8. Estudas a ver televisão? Sim Não
9. Costumas estudar apenas nas vésperas dos testes? Sim Não
10. Antes da entrega dos testes revês todas as respostas? Sim Não
11. Costumas decorar sem compreender? Sim Não
12. Dormes pelo menos oito horas por dia? Sim Não
13. Analisas, com cuidado, os textos, imagens ou gráficos do manual? Sim Não
14. Relacionas os assuntos/temas que estudaste? Sim Não
15. Sentes curiosidade em conhecer o passado? Sim Não


Para saberes o resultado soma os pontos de acordo com a seguinte chave:
1 ponto por cada resposta SIM


Nas questões 8, 9 e 11, 1 ponto por cada resposta NÃO
Resultados:


Entre 0 a 5 - Não és bom estudante, deves rever os teus métodos de estudo para teres sucesso na disciplina e na escola em geral.


Entre 6 e 10 - És um estudante razoável, poderias obter melhores resultados na disciplina se organizasses melhor o teu estudo.


Entre 11 e 15 - És um bom estudante, tens metódos e hábitos de trabalho, bem como gosto pelo estudo da História. ESTÁS DE PARABÉNS!


Regras essenciais para aprender História!
Para se ter sucesso em qualquer disciplina é preciso estudar, ou mellhor, é preciso "saber estudar", é preciso adquirir o seu próprio método de estudo e de trabalho.Aqui tens algumas sugestões que poderás aproveitar.NA SALA DE AULAnão esquecer de....
1. Procura estar atento e participativo;
2. Pergunta ao professor aquilo que não percebeste no momento;
3. Toma notas das ideias importantes, mesmo que de uma forma esquematizada.
EM CASA


Após a aula deves...

Ler os apontamentos da aula e completá-los com as informações do manual;
Elaborar esquemas ou resumos das ideias principais, que te ajudarão a compreender a matéria e a preparar testes de avaliação;
Resolver actividades, exercícios ou fichas de trabalho propostos pelo professor ou que se encontrem no caderno do aluno;
Tomar nota de todas as dúvidas para esclareceres com o teu professor ou consultando diversa bibliografia na biblioteca;
Consultar os motores de busca na internet (google por exemplo), aprofunda os teus conhecimentos ou traz novas informações para a aula.
Assim pouparás tempo, aumentas os teus conhecimentos.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Cerimónias do contrato de vassalagem

Cerimónias do contrato de vassalagem





O contrato de vassalagem era realizado entre um senhor mais poderoso (o suserano) e outro menos importante (o vassalo) que voluntariamente se colocava na sua dependência.
Na Idade Média, o rei era o único senhor que não dependia de ninguém. Ele era o suserano dos suseranos.


Esquema de um domínio senhorial

quarta-feira, 15 de abril de 2009

O Barroco

Check out this SlideShare Presentation:

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

8º ano

EM BUSCA DE OUTRAS TERRAS....



Ao longo do século XIV, viveu-ne na Europa um grave crise : maus anos agrícolas, fomes e pestes. Para ultrapassar esta crise económica e social houve a necessidade de procurar novas terras e riquezas, nomeadamente cereais, mão-de-obra e metais preciosos. A solução encontrada foi, no século XV, partir além-.mar, iniciando um período de expansão. Portugal foi o primeiro país a reunir condições para iniciar este movimento de expansão europeia.

As principais condições que favoreceram a prioridade portuguesa foram a situação geográfica, a tradição marítima e as condições técnico-científicas: instrumentos de orientação como o astrolábio e quadrante que permitiam uma navegação astronómica e o novo tipo de embarcação, a caravela que permitia bolinar (navegar contra o vento)
No ponto de vista social, a nobreza pretendia o aumento dos seus domínios e rendas; o clero queria o alargamento da fé cristã; a burguesia ambicionava chegar a novos mercados e produtos; o povo desejava melhorar as suas condições de vida; e a coroa pretendia aumentar o seu prestígio e encher o tesouro.

A expansão iníciou-se com a Conquista de Ceuta em 1415, cidade do Norte de África, onde afluiam as especiarias orientais e o ouro africano através de rotas caravaneiras. Também a sua situação geográfica conferia a esta cidade uma grande importãncia comercial e estratégica. A tomada de Ceuta foi um sucesso militar, mas um fracasso económico devido ao desvio das rotas caravaneiras para outras cidades e à constante situação de guerra que agravava as despesas de manutenção desta conquista.

O fracasso económico da tomada de Ceuta levou os governantes portugueses a darem atenção às ilhas do atlântico, despovoadas até ao momento, ou seja, à Madeira e aos Açores.

As ilhas foram divididas em capitanias-donatarias e entregues pelo Infante D. Henrique a capitães-donatários, com carácter perpétuo e hereditário, que tinham por obrigação promover o seu povoamento e a sua exploração económica. Além disto, também houve o contrato de arrendamento.

A colonização da Madeira iniciou-se em 1425 e a dos Açores em 1439, por iniciativa do Infante D.Henrique. Nos Açores, além de colonos originários do Continente, fixaram-se também muitos flamengos. Na Madeira começou por se explorar as riquezas naturais (madeira e peixe) e, depois, introduziram-se as culturas de cereais, da cana-de-açúcar, trazida da Sicília, e de vinho; nos Açores o aproveitamento económico consistiu especialmente na criação de gado, no cultivo de cereais e de plantas tintureiras, como o pastel e a urzela.
Prosseguindo a expansão rumo a sul...

A partir de 1415, por iniciativa do Infante D. Henrique, barcos portugueses lançam-se na (re)descoberta das ilhas atlânticas e na exploração da costa ocidental africana.
A Madeira foi reconhecida por João Gonclaves Zarco, Tristão Vaz Teixeira e Bartolomeu Perestrelo (1419-20);no caso dos Açores o principal responsável pelo seu reconhecimento foi Diogo de Silves (1427). Estas ilhas foram colonizadas pelo sistema de capitanias-donatarias, recorrendo-se a colonos vindos de Portugal e da Flandres (no caso dos Açores). Desenvolve-se a agricultura e a pecuária, produção de trigo, vinho, açúcar (Madeira) e criação do gado.
Após a passagem do Cabo Bojador por Gil Eanes (1434), a expansão portuguesa hesitou entre as conquistas no Norte de África e a exploração do Atlântico. No reinado de D. Afonso V, a costa africana foi explorada através do regime de arrendamento a um particular: Fernão Gomes. Cerca de 1445, os portugueses instalaram em Arguim uma feitoria, local de comércio fortificado destinado a defender as ricas mercadorias africanas: ouro, escravos, marfim e pimenta.
Na sequência da chegada à América por Colombo (1492), a mando dos reis de Espanha reavivou-se o conflito sobre a questão das terras descobertas entre Portugal e Espanha. O Tratado de Tordesilhas (1494) foi assinado pelos representantes de D. João II (Portugal) e os reis Fernando e Isabel que se reuniram na cidade de Tordesilhas, no norte da Espanha, em 7 de junho daquele mesmo ano. Dividindo o mundo entre si com a benção papal.
Esse tratado estabelecia um meridiano imaginário, situado a 370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde, nas costas da África. Dando total liberdade quanto ao litoral brasileiro e maior parte do Oceano a navegar.As terras a oeste desse meridiano pertenceriam à Espanha, e as terras a leste seriam de Portugal.
Este tratado significou, para Portugal, o domínio das terras africanas e, sobretudo, o livre acesso à India e às cobiçadas especiarias. Despois da passagem do Cabo da Boa Esperança (antes das Tormentas) por Bartolomeu Dias em 1488, foi a vez de Vasco da Gama conseguir atingir a Ìndia em 1498, abrindo uma nova rota intercontinental (a rota do cabo) que ligava a Europa-África-Ásia.
Brasil, Goa e Macau....

A penetração dos portugueses no mundo asiático foi mais difícil do que em África.
Na Ásia existiam civilizações antigas, prósperas e com elevado desenvolvimento técnico e científico. Por outro lado, os muçulmanos, que dominavam o comércio na região, não viram com bons olhos a chegada dos portugueses, seus concorrentes.

A implantação do domínio português no Oriente deveu-se sobretudo à acção dos Vice-Reis, D. Francisco de Almeida (1505-1509), defensor do controle dos mares e de Afonso de Albuquerque (1509-1515), que fez importantes conquistas territoriais. Deste modo, Portugal passou a dominar vastas áreas de negócios, onde foi criando feitorias, das quais se destacam Goa (a capital do império oriental), Ormuz , Malaca, Macau na China e Nagasáki no Japão.
O comércio oriental baseava-se nas especiarias, sedas, drogas, pedras preciosas e porcelanas, sendo os mesmos produtos enviados para Lisboa através da Rota do Cabo. Para organizar as expedições comerciais ao oriente e receber os produtos proveninetes do Oriente, foi criada em Lisboa a Casa da Ìndia, enquanto que em Antuérpia(Flandres) foi aberta uma feitoria para escoar os mesmos produtos pela Europa.
No caso do Brasil, este território só mereceu atenção da Coroa a partir de 1530 com o estabelecimento do sistema de Capitanias. Contudo, este sistema não resultou, por isso D. João III instarou, em 1549, o Governo Geral.
Então, em poucos anos o Brasil conheceu um grande desenvolvimento, sobretudo com a expansão da cultura da cana de açúcar nos Engenhos, o que obrigou à importação de escravos africanos (tráfico negreiro). Para além do açúcar o Brasil era fonte de produtos como o pau-brasil (corante) e aves raras, no final do século XVII, principios do XVIII também ouro e diamantes.
No que diz respeito aos Índios, estes foram inicialmente escravizados, porém os Jesuitas tiveram um importante papel na cristianização, instrução e protecção dos mesmos.

Sabias que...

Na Europa as especiarias eram importantes para condimentar a carne conservada em sal durante meses. A pimenta chegou a ser tão preciosa que, às vezes, era usada como dinheiro tanto no Ocidente como no Oriente.

Egipto: Uma civilização brilhante

Desenvolveu-se na região do Crescente Fértil, no nordeste da África, uma região marcada pelo deserto e pela vasta planície do rio Nilo. Nas montanhas centrais africanas, onde o Nilo nasce, caem abundantes chuvas nos meses de Junho a Setembro provocando inundações nas áreas mais baixas do Egipto. Com a baixa do Nilo em Fevereiro e Março, o solo liberta o humo, fertilizante natural que possibilita o desenvolvimento da agricultura. Para controlar as enchentes e aproveitar as áreas fertilizadas, os egípcios tiveram de realizar obras de drenagem e de irrigação, com a construção de diques e canais , o que permitia a obtenção de várias colheitas anuais.
A economia egípcia era, assim, baseada principalmente na agricultura que era praticada nas margens do Nilo, todavia também praticavam o comércio de mercadorias e o artesanato.

A sociedade egípcia estava dividida em várias camadas ou estratos (sociedade estratificada), sendo que o faraó era a autoridade máxima. Sacerdotes, militares e escribas (responsáveis pela escrita) também ganharam importância na sociedade. Esta era sustentada pelo trabalho e impostos pagos por camponeses, artesãos e comerciantes. Os escravos também compunham a sociedade egípcia e, geralmente, eram prisoneiros de guerra.
Os egípcios adoravam o faraó como um Deus, a quem pertenciam todas as terras do país e a quem todos pagavam tributos e prestavam serviços. O seu governo era uma monarquia teocrática, ou seja, uma monarquia de origem divina. Como chefe de um Estado poderoso, o faraó tinha imenso poder sobre tudo e sobre todos, acumulando o poder de fazer as leis (legislativo), aplicar a justiça (judicial), comandar o exército (militar) e administrar as finanças (económico), entre outros.

Especiarias e afins....

especiarias_1.JPG


Especiaria


Substância aromática vegetal, utilizada para temperar iguarias. A maior parte das especiarias é de origem oriental. Estes produtos ingressaram na Europa por intermédio dos bizantinos, que desde o século IX viram-se dificultados nesse comércio pelos muçulmanos. As cruzadas fazem com que o interesse pelas especiarias aumente, passando o mercado a pertencer aos venezianos, até o fim da idade média. As grandes navegações são uma das consequências do interesse pelas especiarias , pois visavam a sua busca fora do território veneziano. Novos produtos como a baunilha e a noz-moscada são introduzidas no comércio, com seu preço se mantendo alto até o século XVIII, notadamente as que tinha poderes considerados medicinais. As modificações alimentares e a cultura em larga escala de algumas especiarias, como a pimenta, nas Ilhas Mauritius e Bourbon e em Caiena e o gengibre, no Brasil, fizeram com que os preços baixassem, juntamente com a perda de sua importância comercial.


pimenta.jpg


Pimenta


Era uma das especiarias mais apreciada. Os gregos e os romanos antigos usavam na comida. Quando os godos atacaram Roma, em 408 d.C., exigiram um tributo, pago, em parte com pimenta, chegou a ser usada como moeda. A maioria dos grandes navegadores dos séculos XV e XVI buscavam especiarias, principalmente a pimenta. Em 1497, por exemplo, o explorador português Vasco da Gama comandou uma expedição para encontrar uma rota marítima para a Ásia. Ele foi o primeiro que contornou o extremo Sul da África em direção a Índia.


plantacao_acucar.jpg


Açúcar


No século IV a.C. o imperador persa Dario descobriu na Índia a cana-de-açúcar, do Oriente Médio para a Europa. Mas o açúcar era um luxo na Europa, até Cristóvão Colombo plantar cana nas Antilhas, em 1493. Lá, em pouco tempo, a açúcar virou o eixo da economia. Escravos foram levados da África para trabalhar nas grandes lavouras de cana. Seus proprietários enriqueceram, mas os escravos viviam em condições terríveis. Com o fim de escravidão, as lavouras se mecanizaram. No final do século XVIII, passou-se a extrair açúcar também da beterraba, que crescia bem nos climas mais frios no Norte da Europa e na América do Norte.


cha.jpg


Chá


Uma lenda antiga conte que, em 2737 a.C., o imperador chinês Shen-Nung fervia água quando algumas folhas de chá caíram na panela, produzindo primeiro uma bebida refrescante. O chá crescia na China, Tibete e Índia. Monges budistas levaram-no para o Japão, onde ele protagonizou uma elaborada cerimônia social. Os holandeses levaram o chá para a Europa em 1610. Navios da Companhia Britânica das Índias ocidentais logo estabeleceram comércio regular do chá para a Europa.




segunda-feira, 13 de outubro de 2008

A alimentação nas Caravelas

A alimentação a bordo das caravelas


O problema da alimentação a bordo vai ser uma constante ao longo dos séculos XV e XVI, uma vez que existem deficiências na armazenagem e falta de higiene.
Os alimentos a bordo eram sobretudo o biscoito, enchidos de toda a espécie, bolacha, vinho tinto, queijo, bacalhau, azeite, vinagre, sal, arroz, grão-de-bico, presunto, carnes e peixes, conservas – frutos secos (damasco, figos, ameixas, amêndoas, avelãs, e nozes); ervas aromáticas: alho, cebola, picante, louro, mostarda, orégãos, entre outros.Para conservar alguns destes alimentos mantinha-se as barricas cheias de sal.
Outro dos problemas, residia na qualidade da água, pois a falta de escalas na viagem fazia com que os navios usassem em todo o percurso a água do primeiro abastecimento em Lisboa, ou então quando se faziam escalas abasteciam-se os navios.A partir do Séc. XVIII demonstrou-se que a ração alimentar com frutos cítricos (laranja e limões) evitavam o escorbuto.
As caravelas, naus e galeões transportavam também animais vivos, tais como: galinha, coelho, carneiros, entre outros.

domingo, 12 de outubro de 2008

NEOLITICO


O Neolítico

From: cattonia, 12 months ago


O Neolítico
View SlideShare presentation or Upload your own.






SlideShare Link

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

domingo, 28 de setembro de 2008

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

A Evolução do Homem

A Origem do Homem - Documentario

IMAGINEM-SE NO SÉC XIV: UM TEMPO DE FOME, PESTE E GUERRA

IMAGINEM-SE NO SÉC. XIV, EM TEMPO DE FOME, PESTE E GUERRA

Viver no século XIV era ter a morte à espreita... morria-se de fome, peste e na guerra.Por toda a Europa, a Peste Negra devastou populações inteiras de aldeias e cidades. Os ratos transmitiam esta doença altamente contagiosa que matava em poucos dias.Todo este cenário de perigo aumentava com as guerras que pareciam intermináveis, como a Guerra dos Cem Anos, entre a França e a Inglaterra .A peste, a guerra e as fomes tambem atingiram Portugal. Após a morte de D. Fernando em 1383, instalou-se uma crise dinástica. Quem irai suceder-lhe no trono? D. Beatriz, sua filha casada com o rei de Castela ou D. João Mestre de Avis, meio irmão do rei falecido?A subida ao trono, em 1385, de D. João I e a derrota dos castelhanos em Aljubarrota, grantiram a independência de Portugal e a abertura de uma nova etapa da história nacional: a expansão marítima


Viver no século XIV era ter a morte à espreita... morria-se de fome, peste e na guerra.Por toda a Europa, a Peste Negra devastou populações inteiras de aldeias e cidades. Os ratos transmitiam esta doença altamente contagiosa que matava em poucos dias.Todo este cenário de perigo aumentava com as guerras que pareciam intermináveis, como a Guerra dos Cem Anos, entre a França e a Inglaterra .A peste, a guerra e as fomes tambem atingiram Portugal. Após a morte de D. Fernando em 1383, instalou-se uma crise dinástica. Quem irai suceder-lhe no trono? D. Beatriz, sua filha casada com o rei de Castela ou D. João Mestre de Avis, meio irmão do rei falecido?A subida ao trono, em 1385, de D. João I e a derrota dos castelhanos em Aljubarrota, grantiram a independência de Portugal e a abertura de uma nova etapa da história nacional: a expansão marítima

pais e alunos: um esforço comum


Guia Para Pais.Enc. De EducaçãO

From: Agostinho, 3 days ago





Guia para Pais/Encaregados de Educação, elaborado pela Prof. Lúcia, Coordenadora dos Directores de Turma da EB 2,3 Prof. Dr. Mota Pinto - Lajeosa do Dão.


SlideShare Link

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

O TEMPO DO INÍCIO DA HUMANIDADE OU A PRE-HISTÓRIA


É o período compreendido entre o aparecimento do homem na Terra (há aproximadamente 4 milhões de anos) e o surgimento da escrita, por volta do ano 4000 a. C., quando, a partir daí, teve início a História.
Todos os seres humanos descedem do mesmo hominídeo, cujos fósseis mais antigos foram localizados em África. As primeiras espécies encontradas foram o Australopiteco e o Homo Habilis. O Australopithecus possuia um esqueleto idênticos aos do homem actual e já andavam sobre dois pés e possuia um cérebro pequeno. Já o Homo Habilis foi o primeiro a fabricar e utilizar instrumentos para diversos fins, além de já ter domínio sobre o fogo. Parece ter sido o Homo Erectus quem primeiro abandonou a África, espalhando-se pelo mundo. Antes de chegar à espécie atual, o Homo Sapiens Sapiens, o homem passou por uma série de transformações, conforme provam os fósseis encontrados em Neanderthal na Alemanha.
Características da vida do Homem no Paleolítico
a) AlimentaçãoOs homens paleolíticos ainda não produziam seus alimentos, não plantavam e nem criavam animais. Eles retiravam os alimentos da natureza, recolhiam frutos, grãos e raízes, pescavam e caçavam animais ou seja, eram recolectores;
b) Os instrumentos ou ferramentas
Os homens paleolíticos fabricavam seus instrumentos de pedras, ossos e madeira e faziam uma grande variedade de instrumentos como machados de mão, pontas de flecha, pequenas lanças, arpões, anzóis e mais tarde agulhas de osso, arcos e flechas.c) HabitaçãoOs homens viviam de forma nómada, ou seja, se deslocavam constantemente de região para região em busca de alimentos. Habitavam cavernas ou tendas feitas de galhos e cobertas de folhas ou de pele de animais.
d) VestuárioAs roupas eram feitas de pele de animais. As mulheres limpavam e curtiam as peles até deixá-las macias. Usavam agulha de osso e fios de costura eram tendões, tripas secas ou tirinhas de couro. Também faziam jóias e adornos feitos de âmbar, marfim e conchas
e) Religião e arte
Fazia-se o culto as forças da natureza, acreditavam na vida após a morte, enterravam seus mortos com roupas, armas, enfeites e oferendas. Também adoravam deusas que representavam a fecundidade, pois uma das principais preocupações do homem primitivo era a conservação da espécie humana
Pinturas rupestres são pinturas e desenhos registrados no interior de cavernas, abrigos rochosos e, mesmo ao ar livre. São artes do período paleolítico, também chamado de arte parietal e existe no mundo todo, apesar de ser mais abundante na zona dos Pirineus (fronteira entre a França e espanha). As pinturas geralmente representavam figuras de animais como cavalos, mamutes e bisontes e figuras humanas, representavam à caça. As pinturas eram executadas a dedo ou com um pincel de pelo. Eram utilizados materiais corantes minerais nas cores ocre-amarelo, ocre-vermelho e negro. Alem das pinturas rupestres a arte paleolítica também fazia esculturas em marfim, osso, pedra e argila. Essas esculturas representavam as “Vênus” primitivas, eram figuras femininas e também animais.

CONTEÚDOS DO 7º E 8º ANOS

BEM VINDOS AO BLOG DE HISTÓRIA!
Este ano podes conhecer melhor os seguintes temas:

7º ano


* A Pré-História;
* A Civilização Egípcia;
* Os Gregos no Século V a.C;
* O Mundo Romano no apogeu do Império;
* A Europa na Idade Média (séculos VI-XII)
* A Formação de Portugal;
* O Desenvolvimento Económico dos séculos XII a XIV.


8º ano:


* Crise do século XIV;
* Descobrimentos Europeus nos séculos XV e XVI;

* O Movimento Renascentista e a Reforma no mesmo período;
* Portugal e a Europa no Antigo Regime, séculos XVII e


XVIII;
* A Revolução Industrial e as Revoluções Liberais no século XVII

terça-feira, 16 de setembro de 2008

como estudar


Como estudar para um teste

From: lidia76, 6 months ago








SlideShare Link

quarta-feira, 4 de junho de 2008

O crescimento urbano -comércio e sociedade

Idade Média :

Crescimento Urbano e Sociedade







terça-feira, 27 de maio de 2008

quinta-feira, 22 de maio de 2008

P.IBÉRICA: DOIS MUNDOS EM PRESENÇA


Reconquista Cristã


From: cattonia, 6 days ago





A Reconquista Cristã e a formação de Portugal


SlideShare Link

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Maio de 68

Quando o sonho comandou a vida

Holocausto


Auschwitz Holocausto


From: Almeida, 3 months ago





O Extermínio Nazista de AUSCHWITZ !
Autor Casa.


SlideShare Link

domingo, 18 de maio de 2008

GUERRA FRIA -2

video

PORTUGAL DA DITADURA Á DEMOCRACIA

A DITADURA EM PORTUGAL (1945-1974)

Com o fim da 2ª Grande Guerra, os regimes democráticos sairam vitoriosos. Porém, em Portugal o regime autoritário e repressivo mantinha-se, apesar de Salazar procurar dar a entender que o pais estava a mudar e que a oposição tinha liberdade de se organizar e afirmar livremente:
1ºEm 1945 dá-se a criação do MUD (movimento de Unidade Democrática) lider da oposição ao regime, depois declarado ilegal;
2º Em 1949, temos eleições presidenciais. O candidato da oposição, Norton de Matos, desiste;
3º No ano de 1958, de novo eleições presidenciais. O canditato da oposição, gen. Humberto Delgado, obtem largo apoio da população mas é derrotado.
2. UM TERRAMOTO CHAMADO DELGADO (1958- 65)
Humberto Delgado conhecido como o General Sem Medo (1906 — 1965) foi um general português da Força Aérea que corporizou o principal movimento de tentativa de derrube da ditadura salazarista através de eleições, tendo contudo sido derrotado nas urnas em 1958, num processo eleitoral fraudulento que desta forma deu a vitória ao candidato do regime, Américo Thomaz.
Em 1959, na sequência da derrota, vítima de represálias por parte da polícia política, pede asilo político na Embaixada do Brasil, seguindo depois para o exílio na Argélia.Eegressando clandestinamente a Portugal, ao seu encontro, na fronteira Espanhola em Villanueva del Fresno, é enviado um comando da PIDE que o assassinou a tiro, bem como à sua secretária. Morre assim na fronteira, sem ter conseguido regressar a Portugal, no dia 13 de Fevereiro de 1965.
3. O TARDIO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO
Até à década de 1950, o nível de desenvolvimento económico do nosso país era dos mais baixos da Europa.
A agricultura, apesar de ocupar 50% da população activa era de carácter tradicional e pouco produtiva. A indústriaa, por sua vez, conheceu um grande incremento, em particular a metalurgia, adubos, celulose, química e construção naval.
Em resultado da estagnação agrícola e do fomento industrial, as cidades cresceram e, ao mesmo tempo, a emigração para França, Alemanha e EUA. Na origem da emigração estava os melhores salários oferecidos nestes países da Europa, mas também a fuga a uma vida de miséria, à guerra colonial e às perseguições políticas movidas pela PIDE.
4. A GUERRA COLONIAL (1961-74)
Após a 2ª Grande Guerra, afirmou-se o movimento de descolonização. Na Ásia e, depois em África, as potências coloniais concederam a independência aos seus territórios ultramarinos.
Portugal não o fez porque considerava que o país não possuia colónias mas sim provínicas e que, portanto, não era necessário torná-las independentes.
Em consequência formaram-se nas colónias portuguesas movimentos de autonomia que, através da luta armada, contestavam a presença portuguesa no território: em Angola o MPLA (1956), a FNLA (1962) e a UNITA (1966), na Guiné o PAIGC (1960) e em Mocambique a FRELIMO, desencadearam acções de guerrilha.
Do confronto entre 1961 e 1974, resultaram cerca de 10 mil mortos ( de 900 mil mobilizados), elevado número de deficientes e prejuizos económicos consideráveis.
5. A PRIMAVERA MARCELISTA E A LIBERALIZAÇÃO FRACASSADA.
Em 1968, por incapacidade de Salazar, Marcelo Caetano foi nomeado chefe de governo, criando uma grande expectativa entre os portugueses, que esperavam a resolução de dois grandes problemas: a questão da guerra colonial e a restauração das liberdades democráticas.
Marcello Caetano introduziu algumas alterações a fim de efectuar uma "renovação na continuidade": extinguiu a PIDE e criou a Direcção Geral de Segurança (DGS), apesar de as pessoas e dos métodos não terem mudado; "aligeirou" a acção da censura, permitindo também o regresso de alguns exilados políticos. Foi a chamada "Primavera Marcelista", uma fraca liberalização que não agradou a ninguem por ser insuficiente e não ter resolvidos os problemas da nação.
6. FINALMENTE A MUDANÇA TÃO ESPERADA: A REVOLUÇÃO DOS CRAVOS.
No dia 24 de Abril de 1974, um grupo de militares comandados por Otelo Saraiva de Carvalho instalou secretamente o posto de comando do movimento golpista no quartel da Pontinha, em Lisboa.
O golpe militar do dia 25 de Abril teve a colaboração de vários regimentos militares que desenvolveram uma acção concertada.
À Escola Prática de Cavalaria, que partiu de Santarém, coube o papel mais importante: a ocupação do Terreiro do Paço. As suas forças eram comandadas pelo então Capitão Salgueiro Maia. O Terreiro do Paço foi ocupado às primeiras horas da manhã. Salgueiro Maia moveu, mais tarde, parte das suas forças para o Quartel do Carmo onde se encontrava o chefe do governo, Marcello Caetano, que ao final do dia se rendeu, fazendo, contudo, a exigência de entregar o poder ao General António de Spínola, para que o "poder não caísse na rua". Marcelo Caetano partiu, depois, para a Madeira, rumo ao exílio no Brasil.
7. O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO
No dia seguinte, forma-se a Junta de Salvação Nacional, constituída por militares, e que procederá a um governo de transição. O essencial do programa do MFA é resumido no programa dos três D: Democratizar, Descolonizar, Desenvolver.Entre as medidas imediatas da revolução contam-se a extinção da polícia política (PIDE/DGS) e da Censura. Os sindicatos livres e os partidos foram legalizados. Só a 26 foram libertados os presos políticos, da Prisão de Caxias e de Peniche. Os líderes políticos da oposição no exílio voltaram ao país nos dias seguintes. Passada uma semana, o 1º de Maio foi celebrado legalmente nas ruas pela primeira vez em muitos anos.Portugal passou por um período conturbado que durou cerca de 2 anos, referido como PREC (Processo Revolucionário Em Curso), marcado pela luta entre a esquerda e a direita. No dia 25 de Abril de 1975 realizaram-se as primeiras eleições livres, para a Assembleia Constituinte que foram ganhas pelo PS. Na sequência dos trabalhos desta assembleia foi elaborada uma nova Constituição que estabelecida uma democracia parlamentar de tipo ocidental. A guerra colonial acabou e as colónias

A GUERRA FRIA

video

quarta-feira, 30 de abril de 2008


Objectivos para o teste de Maio - 7º ANO

1-Refere as causas da queda do Império Romano
2-Quem eram os Bárbaros e qual a razão deste nome que os romanos lhe deram?
3-Que religião adoptaram – e quem os ajudou a converter - os novos reinos Bárbaros que se formaram no antigo Império Romano do ocidente?
4- Que reinos fundaram os bárbaros?
5-Quem vivia nos mosteiros? Que tarefas desempenhavam os monges desses mosteiros? Quais eram os dois tipos de clero que existiam?
6-A Europa durante os séculos VIII a X foi novamente invadida por outros povos.
Refere quais foram esses povos e qual foi o que veio a permanecer durante bastante tempo na Península Ibérica.
7-Quais as consequências económicas e sociais que essas invasões provocaram na Europa?
8- A sociedade Europeia – do século IX ao XIII. A Sociedade tripartida: Clero, Nobreza e Povo. Caracteriza cada uma delas e refere quais os privilégios do clero e da nobreza.
9- O Domínio Senhorial: o que era, como se dividia e quem lá habitava e trabalhava.
10 – As relações Feudo-Vassálicas: o estabelecimento de laços de vassalagem entre senhores da nobreza. O Contrato de Vassalagem: o que era e como se fazia.


BOA SORTE!